quinta-feira, 14 de junho de 2012

Velha história

Flash Back ...




Então como em um flash back eu voltei naquele dia naquele momento onde você me parou na rua e me perguntou sobre aquela loja que até hoje eu não gravo o nome. Te olhei e fiquei tão tímida que parecia uma boba rindo aos ventos, você também sorrio, mais não foi um sorriso normal, foi aquele sorriso de lado que durante um certo tempo eu adorei demais. Então você pediu meu telefone, eu tenho vontade de gargalhar quando lembro que vc não conseguia digitar o número e me entregou o celular sem jeito e escreveu. Nossa, quando vc foi embora, eu entrei em êxtase de felicidade, meu coração batia forte demais para o normal, e eu não conseguia parar de sorrir, fiquei ansiosa e desesperada por uma ligação ou um sms. Então chegou, meu celular vibrando me fez dar um pulo e era você mandando um sms se apresentando e falando seu nome. O dia inteiro trocamos sms e eu antes de dormi vc me ligou e passamos um bom tempo no celular. Quando foi no domingo iriamos nos encontrar, como eu só te vi uma vez e foi questão de segundos não sabia como era vc, como iria agir, estava ansiosa e com frio na barriga de matar qualquer garota.
Eu estava sentada lá naquela estação de trem, até que passou um garoto e eu olhei e pensei "Que garoto bonitinho". E então era você! me abraçou como se eu fosse seu único refugio e formos dar aquele passeio entre as árvores à luz do luar. E de repente tudo aconteceu, você encostou os lábios nos meus tão devagar que cada fibra do meu corpo se arrepiava, você segurava minha mão como se estivesse com medo de solta-la. E me abraçava e bagunçava meu cabelo de um jeito que eu adorava. 
Com o tempo fosso se aproximando um do outro... Lembro naquele dia que na casa do seu amigo a gente começou a brincar, você arrancou a metade dos meus cabelos e eu te dei uma mordida tão forte que deixou uma marca roxa durante semanas, era tão bom brincar assim com você. 
A gente andava de mãos dadas pela rua, olhava o céu, e tinha as nossas brincadeiras, as nossas intimidades, o nosso momento. Lembra naquele dia na estação? Nossa, você dançando comigo e me jogando pelos lados na falsa um pouco bagunçada, bagunçada até demais, e toda vez que chegava o trem eu tinha que me despedir e sair correndo pela estação. Era tão dolorido te ver pelo vidro do trem dando as costas e voltando para casa sem mim. E por longo meses nós fizemos isso né? Eu lembro quando te coloquei no ônibus errado pra voltar para casa você ficou putassso comigo, adorei ver você com aquela cara de quem queria me matar, mais dizia estar tudo bem. E o melhor dia foi a gente brincando de STOP no onibos e falando as coisas mais bobas no mundo, com vários passageiros olhando para gente e rindo das nossas bobagens. A ultima vez que a gente se viu, foi no alto naquele pico, onde dava para ver tudo. A paisagem, a natureza, as pessoas e a cidade, principalmente o céu e o sol se pondo... Não sei por que resolveu ser tão ausente, não sei por que me trocou por outra, não sei por que me deixo parti sem dizer que um dia me amou como eu te amei. Você viveu e morreu na minha história. Adeus meu garoto, o garoto que conheci na rua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar *-*