domingo, 30 de dezembro de 2012

Quando quase tudo está perdido.

Não temos para onde correr...



Sabe as vezes deixamos que a emoção da paixão nos deixe levar para qualquer lugar, mais as vezes quando nós deixamos levar a gente acaba se deparando na beira de um precipício sem volta, e quando pensamos em se jogar olhamos fundo para o buraco sem fim, enquanto ele nós olha profundamente até atingir a nossa alma, e o arrependimento de se jogar se torna real, antes mesmo do salto acontecer. Queremos silêncio pleno, um copo de Whisky, e uma briza com um vento gelado por um momento, mais continuamos sentir que estamos vazios, e em pleno silêncio passa-se lembranças de momentos inesquecíveis onde o "para sempre" era eterno e o "eu te amo" era importante. As lágrimas tomam conta de mim, meu corpo pega fogo, como se todo o amor estivesse me queimando por dentro,fico paralisada olhando a neve cair pela janela da sala de estar, e cada gota de lágrima que cai, é cada parte do meu coração se queimando pelo amor não real. Levanto-me da poltrona, deixo de lado meu Whisky e o desgosto, coloco meu casaco e saio deixando a neve cair sobre meu corpo quente e abandonado. Escuto apenas minha respiração e o barulho da neve se amaçando em meus pés a cada passo. Sinto-me fria agora, completamente fria, não tenho mais esperanças, ela morreu afogada com o Whisky descendo pela minha garganta. Começo a apressar o passo, e o sentimento de ódio, raiva e arrependimento começa a tomar conta de mim. Aperto minhas mãos serrando meus pulsos, e entro na trilha que nunca imaginaria que seria necessária subir. Chegando ao topo da trilha vejo-me em pé ao precipício, o vento faz questão de brincar com meus cabelos, fecho os meus olhos, e lembro que a ultima vez que estava ali, foi a vez que vimos o por do sol juntos, em pleno juramento que ficaríamos juntos para sempre. Abro meus olhos, abro meus braços, sorrio e olho profundo para o fundo negro do abismo que estava em minha frente, com os braços abertos jogo-me para os braços da escuridão no precipício em busca de conforto eterno. 




6 comentários:

  1. Paixão é um negócio traiçoeiro, podemos se sair bem, mas podemos cair num desamor terrível... ;)

    www.jaylsonbatysta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, sempre tem algo que nos trás as recordações que queremos esquecer.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é sim, existe lembrança boas e lembranças ruins

      Excluir

Obrigada por comentar *-*